EUA reduzirão ação militar na Líbia em breve

Os Estados Unidos vão reduzir o seu papel militar na zona de exclusão aérea na Líbia por volta da próxima semana, enquanto outras nações começam a se concentrar em como tirar Muammar Gaddafi do poder, disseram neste domingo importantes autoridades norte-americanas.

ARSHAD MOHAMMED, REUTERS

27 de março de 2011 | 13h54

Em entrevistas a canais de TV, os secretários de Estado e de Defesa dos EUA levantaram a possibilidade de que o regime de Gaddafi possa desmoronar e disseram em uma conferência em Londres na terça-feira que vão discutir estratégias políticas para acabar com um governo que há 41 anos comanda uma das nações exportadoras de petróleo da África.

Os Estados Unidos e outros países começaram a bombardear a Líbia em 19 de março e impuseram uma zona de exclusão aérea para impedir que as forças de Gaddafi atacassem rebeldes e civis no leste do país. A Líbia é o mais recente país árabe a registrar levantes contra um regime autoritário.

Rebeldes líbios têm se dirigido ao oeste do país para recuperar territórios abandonados pelas forças em retirada de Gaddafi, que têm sido enfraquecidas por ataques aéreos ocidentais e, de acordo com o secretário de Defesa norte-americano, Robert Gates, são em grande parte incapazes de reagir.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.