EUA relatam grandes batalhas contra xiitas em Bagdá

Os Estados Unidos disseram ter matado 45militantes em 24 horas, período em que ocorreu a pior batalhacontra grupos xiitas no último mês, iniciada por causa de umataque a um posto de controle militar durante uma tempestade deareia. Os combates na favela de Sadr City e arredores mostram quealguns militantes aparentemente desafiaram as ordens do clérigoxiita Moqtada Al Sadr para observar uma trégua, criando dúvidassobre até que ponto ele controla seus seguidores. Militares dos EUA e do Iraque já ocuparam nas últimassemanas cerca de um quarto da enorme Sadr City, antescontroladas pela milícia do clérigo cujo sobrenome batiza obairro. O posto de controle foi atacado na noite de domingoenquanto foguetes eram disparados contra a chamada Zona Verde(bairro de prédios do governo e embaixadas). Usando os canhões dos seus tanques M1, os norte-americanosmataram 22 dos combatentes que atacaram o posto de controle,enquanto os outros fugiram. Um porta-voz militar dos EUA disse que esse é "certamente"o pior confronto com xiitas desde que o governo iraquianolançou uma onda de repressão à milícia de Sadr, em março. Funcionários de dois hospitais de Sadr City disseram terrecebido oito cadáveres e 72 feridos. Maliki, ele próprio xiita, diz que a repressão à milícia deSadr se destina a restaurar a ordem. Os seguidores do clérigoafirmam que o governo quer enfraquecer politicamente seusrivais.

PETER GRAFF E TIM COCKS, REUTERS

28 de abril de 2008 | 17h48

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEEUAXIITAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.