Ex-presidente de Israel é processado por estupro

O ex-presidente de Israel Moshe Katsav foi formalmente acusado na quinta-feira por estupro e outros crimes sexuais, cujas vítimas são três mulheres que trabalharam para ele, acusações que nega.

REUTERS

19 de março de 2009 | 10h55

O processo na Corte Distrital de Tel Aviv acusa Katsav de cometer dois estupros e, em outra ocasião, molestar uma funcionária quando ele era ministro do Turismo, entre 1996 e 1999.

Depois de tornar-se chefe de Estado, em 2000, Katsav molestou duas outras funcionárias, de acordo com a acusação, que também alegou que ele obstruiu a Justiça e forjou uma testemunha depois que o escândalo se tornou público em 2006.

Katsav, 63 anos, renunciou em 2007 e, um ano depois, rejeitou um acordo sob o qual ele poderia ter evitado as acusações de estupro e uma possível pena de prisão em troca de admitir ofensas sexuais menos graves.

Ele nega qualquer desvio de conduta e se descreve como vítima de uma "caça às bruxas" promovida por rivais políticos e a mídia.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDISRAELESTUPRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.