Ex-reduto de Gaddafi inicia levante contra governo líbio

O governo da Líbia perdeu o controle de um antigo reduto do líder deposto Muammar Gaddafi nesta terça-feira, depois que moradores começaram um levante armado, no desafio mais grave até agora aos novos governantes do país.

OLIVER HOLMES, REUTERS

24 de janeiro de 2012 | 11h35

Anciãos em Bani Walid, onde milícias leais ao Conselho Nacional de Transição (CNT) foram expulsas em uma troca de tiros no dia anterior, disseram que estavam nomeando seu próprio governo local e rejeitaram qualquer interferência das autoridades da capital, Trípoli.

A revolta na cidade aumentará as dúvidas no Ocidente sobre a capacidade de o governo do CNT fazer cumprir a lei e a ordem, vitais para retomar as exportações de petróleo, desarmar as milícias tribais e guardar as fronteiras líbias em uma região onde a Al Qaeda é ativa.

Os anciãos negaram relatos de que se mantêm leais a Gaddafi, que foi capturado e morto em outubro depois de semanas foragido, e jornalistas da Reuters em Bani Walid não viram sinais das bandeiras verdes da era Gaddafi, que testemunhas haviam dito que foram hasteadas na cidade.

Mas o colapso da autoridade do CNT em Bani Walid - um dos últimos bastiões de Gaddafi a se render durante os nove meses de guerra civil na Líbia no ano passado - deve agravar os problemas que afligem um governo que na última semana passou de uma crise a outra.

O levante em Bani Walid não podia ter vindo em pior hora para o Conselho Nacional de Transição. Na semana passada, seu líder teve seu gabinete invadido por manifestantes furiosos com o ritmo lento das reformas e a segunda figura mais importante do governo renunciou, citando o que descreveu como "uma atmosfera de ódio".

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAGADDAFIREVOLTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.