Exército americano liberta 290 presos em Bagdá

Medida é parte de 'compromisso entre Iraque e EUA', diz líder sunita; maior parte era menor de idade

Efe,

27 de maio de 2008 | 15h53

O Exército americano colocou em liberdade 290 presos iraquianos nesta terça-feira, 27, a maioria menores de idade, da penitenciária de Cropper, um dos maiores centros de detenção dos Estados Unidos no Iraque, situado nas proximidades do aeroporto de Bagdá, segundo parlamentares sunitas.  Veja também:Libertados jovens treinados para missão suicida no Iraque O presidente da Frente de Consenso (sunita), Adnan Dulaimi, explicou que estas libertações "fazem parte de um compromisso entre o governo iraquiano e o Exército americano", e antecipou que "milhares" de presos serão beneficiados por este pacto. Segundo Dulaimi, a maioria dos libertados é menor de idade. O Exército americano admitiu na semana passada que tinha 500 menores "sob custódia", o que foi criticado por grupos de defesa dos direitos humanos. Fontes extra-oficiais citam que há 23 mil presos em penitenciárias ou centros de detenção administrados pelo Exército americano no Iraque, enquanto há também cerca de 20 mil em prisões iraquianas. A Frente de Consenso, terceira maior legenda no Parlamento, abandonou há meses o governo do primeiro-ministro, o xiita Nouri al-Maliki, e condicionou sua volta ao gabinete à libertação de grande número de presos, já que a maioria deles é sunita.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.