Exército da Turquia entra no Iraque em perseguição a curdos

Incursão poderá ativar protestos de Bagdá e da região semiautônoma do Curdistão iraquiano

AE-AP, Agência Estado

16 de junho de 2010 | 18h23

A Turquia enviou centenas de tropas de elite ao norte do Iraque nesta quarta-feira, 16, para capturar guerrilheiros curdos, numa operação que poderá aumentar ainda mais as tensões na região. Os soldados turcos mataram quatro insurgentes que escaparam após um ataque fracassado contra uma unidade turca perto da fronteira, informou o Exército da Turquia.

 

Veja também:

linkGuarda Revolucionária do Irã se instala nas zonas de fronteira com Iraque

linkConfrontos matam quatro na fronteira de Turquia e Iraque

 

O exército não informou quando os soldados, apoiados pela aviação militar turca, irão se retirar do Curdistão iraquiano. Mas o canal de televisão NTV da Turquia disse, sem citar fontes, que as tropas já estão regressando.

Os militares turcos têm desfechado vários ataques contra os insurgentes curdos no norte do Iraque. A última grande operação foi lançada em fevereiro de 2008, quando centenas de soldados fizeram uma ofensiva de uma semana contra os curdos turcos na região, alarmando os curdos iraquianos.

 

O website dos militares turcos informou que três companhias de comandos e um batalhão das forças especiais entraram 3 quilômetros no Iraque hoje.

Os curdos iraquianos têm cooperado com a Turquia na luta de Ancara contra os insurgentes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em curdo), compartilhando informações sobre os movimentos e as posições da guerrilha. Contudo, a incursão em curso poderá ativar protestos de Bagdá e da região semiautônoma do Curdistão iraquiano.

 

Ela ocorre no momento em que os insurgentes curdos turcos aumentam seus ataques contra a Turquia, matando mais de 30 soldados turcos nos últimos meses e provocando um ultraje popular nas maiores cidades turcas.

O conflito entre o governo turco e o PKK já deixou mais de 40 mil pessoas mortas desde o seu início em 1984. Muitos guerrilheiros do PKK se escondem em cavernas e abrigos nas montanhas na fronteira entre Turquia e Iraque, de onde saem para atacar os soldados turcos.

 

O PKK é considerado uma organização terrorista pela União Europeia e pelos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.