Exército de Israel avança em áreas residenciais de Gaza

Segundo agência internacional, moradores estão abandonando suas casas em busca de segurança

Agências internacionais,

15 de janeiro de 2009 | 06h32

O confronto entre as tropas israelenses e militantes do Hamas entra no 20º dia, apesar de alguns progressos no esforço internacional para um cessar-fogo. Segundo a Associated Press, milhares de moradores da Cidade de Gaza abandonam suas casas na manhã desta quinta-feira, 15, enquanto tropas israelenses se aproximam cada vez mais das áreas residenciais. Veja também:Hamas reafirma condições para trégua; grupo tem divergênciasNúmero de mortos em Gaza já passa de milBin Laden convoca 'jihad' contra Israel em Gaza Secretário da ONU volta a pedir cessar-fogo Norte de Israel é atingido por foguetes do LíbanoCorrespondente do "Estado" fala da 3ª semana do conflito Aumenta suspeita do uso de armas ilegais no conflito em Gaza Conflito em Gaza vira guerrilha urbana Secretário-geral da ONU apela por trégua Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos   Veja imagens de Gaza após os ataques    As tropas israelenses apoiadas por helicópteros, tanques e pesadas armas avançam mais na Cidade de Gaza em busca de militantes do Hamas. A Organização das Nações Unidas (ONU) informou na quarta-feira, 14, que vai destinar US$ 7 milhões de um fundo de emergência para ajudar a entregar comida e água em Gaza. O dinheiro também será usado para reparar os danos causados pela ofensiva israelense, entregar combustível para colocar em funcionamento bombas de água e hospitais, entregar água para os refugiados e comida, disse o chefe de assuntos humanitários da ONU, John Holmes. Segundo ele, 500 mil em Gaza não têm acesso a água fresca. O movimento islâmico Hamas disse nesta quarta-feira, 14, que deu ao Egito suas visões para o plano de cessar-fogo egípcio. "O movimento apresentou uma visão detalhada à liderança egípcia. Não há divergências com eles. A questão é a diferença em como dialogar com o inimigo sionista (Israel) em cláusulas dessa iniciativa", afirmou o oficial do Hamas Salah al-Bardawil em uma coletiva de imprensa no Cairo. Nesta quinta, um alto representante israelense, Amos Gilad, viajará para o Cairo para negociações sobre o cessar-fogo, informou um porta-voz do primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert. A proposta egípcia pede um cessar-fogo temporário, seguido de uma trégua de longo prazo e a abertura das fronteiras de Gaza com a presença de oficiais da Autoridade Nacional Palestina (ANP), lideradas pelo presidente Mahmoud Abbas, que perderam o controle da região para o Hamas em 2007. A ofensiva israelense na Faixa de Gaza já matou mais de mil palestinos, segundo afirmou nesta quarta-feira, 14, Muawiya Hassanein, chefe de serviços médicos do território. Mais de duas semanas desde o início dos combates, os cidadãos de Gaza se esforçam para encontrar lugares para enterrar seus mortos. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) confirmou ainda que mais de 300 crianças foram mortas e outras 1.500 feridas nos confrontos. Mais de 4.580 pessoas ficaram feridas desde 27 de dezembro, quando Israel lançou uma operação contra o Hamas, grupo militante islâmico que controla a Faixa de Gaza.

Tudo o que sabemos sobre:
Faixa de GazaIsraelHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.