Exército do Iraque lança ofensiva contra Estado Islâmico em três cidades

Forças iraquianas lançaram uma operação militar intensa contra insurgentes do grupo Estado Islâmico em três cidades no centro do país nesta quarta-feira, almejando retomar o controle de territórios perdidos, informaram fontes do setor de segurança.

REUTERS

17 de setembro de 2014 | 11h31

As ofensivas em Ramadi, Falluja e Haditha, na província de Anbar, no oeste do Iraque, começaram antes da madrugada, segundo as fontes presentes nas três localidades.

Tribos sunitas se revoltaram nestas áreas no final de 2013, quando o então primeiro-ministro xiita, Nuri al-Maliki, enviou suas forças para essas cidades para reprimir um movimento de protesto antigoverno que já durava um ano.

Mais tarde os insurgentes do Estado Islâmico entraram nessas cidades e se tornaram a força dominante ao longo dos vários meses de combates contra o governo de liderança xiita.

Na semana passada o novo premiê iraquiano, Haider al-Abadi, prometeu encerrar os ataques contra áreas urbanas iraquianas para diminuir as baixas civis. Os ataques desta quarta-feira aconteceram em subúrbios distantes das três cidades.

Fontes da área de segurança disseram que a oitava divisão do Exército atuou em áreas no oeste de Ramadi com morteiros, artilharia e disparos de foguete. Combatentes de tribos sunitas aliadas ao governo também confrontaram o Estado Islâmico no local, deixando oito mortos, afirmou uma fonte de um hospital de Ramadi.

Em Falluja, ataques da força aérea iraquiana e bombardeios pesados atingiram o distrito de Al-Sujur, nas cercanias da cidade, matando 12 civis, relataram médicos da localidade.

Militantes do Estado Islâmico tentaram assumir o controle de Barwana, área residencial cerca de cinco quilômetros ao sul de Haditha, também nesta quarta-feira, disse uma fonte do setor de segurança, o que levou a embates com forças pró-Bagdá. Ao contrário do que ocorre em Falluja e Ramadi, o Exército do Iraque ainda controla a maior parte de Haditha.

(Por Saif Sameer Hameed)

Mais conteúdo sobre:
IRAQUEEXERCITOOFENSIVA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.