Exército iraquiano ocupa reduto de clérigo xiita em Bagdá

Militares dizem que não tiveram resistência; 'Operação Paz' é coordenada com movimento de Moqtada Al Sadr

WISAM MOHAMMED E ADRIAN CROFT, REUTERS

20 de maio de 2008 | 10h20

O Exército iraquiano iniciou nesta terça-feira, 20, a ocupação da favela Sadr City, reduto do clérigo xiita Moqtada Al Sadr em Bagdá, para garantir a autoridade governamental em áreas que anteriormente ficavam fora do controle do governo. Soldados entraram na favela nas primeiras horas do dia, ocupando seus subúrbios numa operação que um porta-voz do Exército disse ocorrer em coordenação com o movimento de Sadr para evitar derramamento de sangue. A ação, ocorrida no segundo aniversário da posse do primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, é a primeira vez desde a invasão do Iraque, liderada pelos EUA em 2003, que o Exército iraquiano entra tão fundo nessa região. "As forças de segurança tomaram o controle da segurança da cidade completamente, com a graça de Deus", disse o major-general Qassim Moussawi, porta-voz das forças de segurança em Bagdá, durante entrevista coletiva sobre a "Operação Paz", que é a mais recente medida do governo iraquiano para garantir o controle de partes do Iraque, até então dominadas por militantes xiitas ou insurgentes sunitas.   Os soldados envolvidos não encontraram resistência em seu avanço até o centro de Sadr City na madrugada de terça-feira, mas Moussawi disse que eles tiveram que desativar mais de 100 bombas caseiras plantadas nas ruas antes de entrarem.  O porta-voz militar dos EUA, tenente-coronel Steven Stover, disse que a operação foi toda planejada e executada pelas forças do Iraque, sem participação norte-americana. Sadr City, assim batizada em homenagem ao pai do clérigo xiita, é o principal reduto da milícia Exército Mehdi, que supostamente tem dezenas de milhares de soldados e já foi apontada pelos EUA como a principal ameaça à estabilidade iraquiana. O Exército Mahdi se sublevou duas vezes contra a ocupação americana desde 2004, e desde o final de março combate as forças dos EUA e do Iraque em Sadr City. Os combates na favela são uma continuação dos confrontos iniciados com uma ofensiva do governo em Basra (sul do Iraque).    Os soldados iraquianos assumiram o controle de uma estação policial desativada e entraram em prédios altos para onde enviaram atiradores de elite. Moradores disseram que lojas e escolas foram fechadas.  Moussawi disse que o Exército assumiu posições em Sadr City e estabeleceu postos de controle. A busca por pessoas procuradas ainda não começou, acrescentou. Neste mês, o governo (liderado por xiitas) e o grupo político de Sadr chegaram a um acordo no Parlamento para encerrar os combates também em Sadr City, onde já houve centenas de mortes.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueMoqtada Al SadrExército Mahdi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.