Exército israelense diz que militantes atacaram dos arredores de escola em Gaza

Os militares israelenses, em uma primeira resposta à morte de 19 palestinos em uma escola administrada pela ONU em Gaza nesta quarta-feira, disseram que militantes próximos à instalação atiraram bombas de morteiro e as forças israelenses foram obrigadas a revidar.

REUTERS

30 Julho 2014 | 08h18

"Mais cedo nesta manhã, militantes atiraram projéteis de morteiros contra soldados (israelenses) a partir dos arredores da escola da Unrwa ( a agência da ONU para os refugiados palestinos) em Jabalya (um campo de refugiados). Em resposta, os soldados atiraram em direção à origem dos disparos, e nós ainda estamos analisando o incidente", disse uma porta-voz militar.

Um funcionário da ONU disse que 19 pessoas dentro da escola foram mortas quando cinco projéteis lançados por tanques atingiram o local.

(Reportagem de Ari Rabinovitch)

Mais conteúdo sobre:
ORMEDISRAELESCOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.