Exército israelense se retira por completo da Faixa de Gaza

As forças 'foram redistribuídas e estão fora da Faixa' preparadas para qualquer eventualidade, diz porta-voz

Efe,

21 de janeiro de 2009 | 05h45

O Exército israelense finalizou esta manhã sua retirada de Gaza e abandonou todas as suas posições na Faixa, confirmou à Agência Efe um porta-voz militar.   Veja também Chefe da ONU pede inquérito em Gaza Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques       "O último soldado israelense saiu de Gaza esta manhã cedo", disse o porta-voz, que destacou que as forças "foram redistribuídas e estão fora da Faixa" preparadas para qualquer eventualidade.   Israel havia retirado a maior parte de suas forças na terça-feira, 20, antes da posse do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em uma decisão que os analistas viram como uma tentativa de não comprometer a aliança com o governo americano.   As tropas israelenses entraram em Gaza em 3 de janeiro, após uma semana de bombardeios aéreos e marítimos sobre a Faixa, com o objetivo de reduzir a capacidade das milícias de disparar foguetes contra o sul de Israel.   No domingo passado, Israel iniciou um cessar-fogo unilateral, que em princípio foi rejeitado pelo Hamas e as demais facções palestinas em Gaza.   Mais tarde, essas milícias anunciaram também seu próprio cessar-fogo e deram uma semana de prazo às tropas israelenses para que deixassem seu território.   A operação israelense provocou a morte de mais de 1.400 palestinos e feriu cerca de 5.500, no que foi a ofensiva mais sangrenta na região desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967.

Tudo o que sabemos sobre:
Faixa de GazaHamasIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.