Exército líbio dá ultimato à cidade rebelde de Benghazi

O Exército líbio deu um ultimato na quarta-feira para os moradores de Benghazi, tomada pelos opositores, alertando para que deixassem os locais controlados por rebeldes e os depósitos de armas, informou a televisão do país.

REUTERS

16 de março de 2011 | 21h49

Moradores disseram que a cidade estava calma depois do ultimato.

Um texto transmitido na tela do canal Al-Libya disse aos moradores da cidade, no leste do país, que o Exército estava se aproximando para "apoiá-los e libertar a cidade das gangues armadas".

"Pedimos que vocês deixem até meia-noite (horário local) as áreas onde homens armados e depósitos de armas estão localizados."

"Isso é uma guerra psicológica", disse por telefone à Reuters o morador Faiza Ali.

Notícias da mídia local informaram na terça-feira que os apoiadores do líder Muammar Gaddafi fizeram protestos na cidade, o que os jornalistas internacionais não puderam confirmar. Não estava claro se esse alerta será seguido de alguma ação.

Gaddafi disse ao canal LBC do Líbano que não esperava uma batalha em Benghazi, sede do Conselho Nacional provisório dos insurgentes, e que o povo líbio tem ajudado a combater os elementos da Al Qaeda naquela região.

(Reportagem de Ali Abdelati e Souhail Karam)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAEXERCITOULTIMATO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.