Exército turco entra no Iraque e ataca rebeldes do PKK

Militares promovem ofensiva contra insurgentes após governo de Ancara autorizar ações além da fronteira

Agências internacionais,

01 de dezembro de 2007 | 14h01

O Exército da Turquia afirmou ter entrado no norte do Iraque neste sábado, 1, e causado "sérias perdas" em um ataque aos rebeldes do movimento separatista curdo PKK operando no país. A incursão foi realizada um dia depois do primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, afirmar que o governo teria autorizado intervenções além da fronteira turca se necessário.   "Como parte do trabalho de inteligência, um grupo entre 50 e 60 terroristas do PKK foi identificado dentro da fronteira iraquiana", disse o exército em seu website, segundo a agência de notícias Reuters. "Foi feita uma intervenção intensa contra o grupo e foi detectado que o grupo terrorista sofreu sérias perdas." Segundo a BBC, o Exército turco afirmou que, se necessário, poderá aumentar sua "intervenção" na região.   De acordo com o Exército, o ataque deste sábado aconteceu a sudeste de Cukurca, aldeia da Província turca de Hakkari, no sudeste do país, e próxima da fronteira iraquiana. Segundo a agência de notícias pró-curda Firat, a artilharia turca atingiu as áreas iraquianas de Dola Mir e Dola Merge. "Nenhuma operação localizada ou movimentação militar foi observada depois do bombardeio, que durou quase duas horas", disse a agência, citando oficiais curdos do Exército iraquiano   Em Outubro, o parlamento turco autorizou o governo a ordenar ações militares dentro do Iraque para combater o PKK, que aumentou os ataques contra a Turquia. Mas o Iraque e os Estados Unidos haviam pedido ao governo turco que não cumprisse a ameaça.   Apesar da oposição dos Estados Unidos e do governo iraquiano a uma grande operação na área, a Turquia já havia prometido combater guerrilheiros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) que usam o norte iraquiano como base para lançar ataques ao território turco.   Nos últimos meses, uma série de ataques curdos mataram dezenas de soldados e civis turcos. O PKK é considerado uma organização terrorista pelos Estados Unidos, pela União Européia e pela Turquia. O grupo vem realizando uma violenta campanha pela autonomia curda desde 1984, resultando em mais de 30 mil mortes.

Tudo o que sabemos sobre:
TurquiaIraquePKK

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.