Explosão atinge carro da embaixada dos EUA e mata 4 no Líbano

Nenhum cidadão americano foi atingido, mas motorista do carro, um libanês, está entre os 16 feridos

Reuters e Associated Press,

15 de janeiro de 2008 | 13h24

Uma forte explosão num bairro predominantemente cristão de Beirute, no Líbano, atingiu um veículo da embaixada dos Estados Unidos, deixando quatro libaneses mortos e outras 16 pessoas feridas. A explosão foi ouvida em toda a capital. Um oficial de segurança, que pediu para não ser identificado, disse que a explosão ocorreu no bairro de Dora-Karantina e visou um veículo da embaixada norte-americana.   Um repórter da Lebanese Broadcasting Corporation que passava pelo no local disse ter visto pelo menos um corpo carbonizado e uma pessoa ferida no veículo. Em Washington, o porta-voz do Departamento de Estado Sean McCormack afirmou que um funcionário libanês da embaixada americana e o motorista, também libanês, estavam no carro no momento da explosão. Segundo McCormack, o motorista ficou levemente ferido, mas não corre risco de vida. Ele destacou, no entanto, que não haviam cidadãos ou diplomatas americanos no local.   "Não havia diplomatas ou cidadãos americanos no carro naquele momento. O que posso dizer é que há quatro moradores de Beirute que não trabalham para a embaixada mortos", disse ele. "Nossos pensamentos e orações vão para as famílias deles", disse.   Imagens de televisão mostraram vários carros danificados, entre eles um utilitário com vidros escurecidos, como os usados por diplomatas norte-americanos. Agentes à paisana foram vistos removendo fuzis de dentro do carro. Nos últimos três anos ocorreram uma série de atentados a bomba no Líbano, tendo como alvos principalmente políticos e jornalistas anti-Síria.   Segundo McCormack, os funcionários da embaixada americana em Beirute trabalham agora para identificar as circunstâncias do ataque. Ele destacou que os padrões de segurança para os funcionários da embaixada serão revistos.   "Nossa maior prioridade é proteger nosso pessoal. Com certeza nós também estamos muito preocupados em garantir a melhor segurança aos nossos funcionários locais."   Ainda segundo o porta-voz da diplomacia americana, a Embaixada dos EUA em Beirute continuará a funcionar normalmente.   Ele disse não ter informações sobre quem está por trás da explosão.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoexplosãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.