Explosão de carro-bomba deixa 9 mortos e 31 feridos no Iraque

Ataque ocorreu em um mercado em zona próxima a Bagdá; líder tribal foi ferido em outro atentado

Efe,

06 de outubro de 2009 | 16h53

Pelo menos nove pessoas morreram e outras 31 ficaram feridas nesta terça-feira, 6, devido à explosão de um carro-bomba em um mercado popular em uma localidade ao sul de Falluja, 50 quilômetros ao oeste de Bagdá, disseram fontes da Polícia.

 

O carro-bomba explodiu na entrada de um mercado em Ameriya, cerca de sete quilômetros ao sul de Falluja, na província de Al-Anbar. Segundo as fontes, há pessoas com ferimentos de diversas gravidades e várias ambulâncias foram ao local da explosão para levá-los a hospitais próximos. A explosão causou também o incêndio de vários carros particulares e danos materiais em lojas próximas.

 

No passado, a província de Al-Anbar foi um dos principais redutos da rede terrorista Al Qaeda no Iraque. Na área, surgiram em 2007 os Conselhos de Salvação - milícias tribais sunitas - para fazer frente à Al Qaeda e apoiar a luta do Exército dos EUA e do Iraque.

 

Também nesta terça, o chefe de um Conselho de Salvação ficou ferido em uma tentativa de assassinato na província de Diyala, disse uma fonte do Ministério do Interior.

 

O líder tribal, identificado como Omar al-Farouk, ficou ferido devido à explosão de uma bomba em seu carro, quando dirigia pela área de Al-Amin, cerca de quatro quilômetros ao norte de Baquba, capital de Diyala.

 

A mesma fonte informou sobre a morte de um soldado iraquiano devido à explosão de uma bomba perto de um posto de controle do Exército em Bagdá, que também deixou quatro feridos - dois militares e dois civis.

 

Além disso, as forças de segurança encontraram os cadáveres de três oficiais da Polícia, sequestrados em 2007, na zona de Al-Sharqat, 250 quilômetros ao norte de Bagdá.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueatentadocarro-bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.