Explosão deixa 6 civis mortos em província no Afeganistão

Ataque em Helmand deixou quatro feridos; militantes abriram fogo contra helicóptero que resgatava vítimas

Efe

12 de julho de 2010 | 12h51

CABUL - Ao menos seis civis morreram nesta segunda-feira, 12, e quatro ficaram feridos com a explosão de uma bomba na província sulina de Helmand, onde as tropas estrangeiras iniciaram uma grande operação contra os insurgente em fevereiro.

 

A bomba explodiu no momento em que o carro das vítimas passou.

 

A Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), missão militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) no Afeganistão, assegurou em comunicado que as investigações preliminares apontam que uma patrulha de soldados estrangeiros estava atrás do veículo atacado no momento da explosão.

 

O ataque aconteceu no distrito de Lashkar Gah, onde está a capital homônima da província de Helmand.

 

A OTAN acrescentou que os feridos foram levados para o hospital em um helicóptero e que um grupo de insurgentes abriu fogo contra eles na hora da decolagem.

 

"Este é outro exemplo do assassinato indiscriminado de inocentes civis por parte dos insurgentes", disse William Maxwell, porta-voz da Isaf.

 

Segundo a Otan, a insurgência matou 38 civis e deixou outros 84 feridos durante a última semana.

 

A organização Afghanistan Rights Monitor (ARM) divulgou hoje um relatório segundo o qual 1.074 civis morreram no primeiro semestre de 2009 vítimas da guerra, um aumento de 1,3% com relação ao mesmo período do ano anterior.

 

A ARM responsabilizou os grupos insurgentes por 661 das mortes civis do semestre - 61% do total-, sobretudo por causa das explosões como a de hoje em Helmand (282 baixas) e dos atentados suicidas (127 mortos).

 

A Isaf, por sua vez, foi responsável pela morte de 210 civis. Uma "redução considerável" com relação ao ano anterior, segundo a organização.

 

As tropas internacionais e afegãs iniciaram em fevereiro uma operação com milhares de soldados contra as fortificações taleban em Helmand, província chave na produção e cultivo do ópio que financia os fundamentalistas.

 

Desde então, as tropas estrangeiras planejam uma nova ofensiva na vizinha Kandahar, reduto espiritual dos taleban, mas não sinais de grandes avanços militares em Helmand.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.