Explosão suicida de caminhão com bombas mata 15 em Kirkuk

Um suicida matou 15 pessoas em Kirkuk, no Iraque, nesta quarta-feira depois de detonar um caminhão cheio de explosivos do lado de fora do escritório de um partido curdo na cidade que está no centro de uma disputa entre Bagdá e a região autônoma do Curdistão.

MUSTAFA MAHMOUD, Reuters

16 de janeiro de 2013 | 11h58

Compradores e policiais ajudaram a arrastar sobreviventes sangrando para fora dos escombros e veículos destruídos após a explosão enorme atingir uma rua comercial em Kirkuk, perto da sede local do Partido Democrático do Curdistão, ou KDP.

O ataque aconteceu no momento em que o primeiro-ministro xiita do Iraque, Nuri al-Maliki, está envolvido em uma briga com os curdos no norte sobre campos de petróleo disputados e também enfrenta manifestantes muçulmanos sunitas na província ocidental que pedem a renúncia dele.

"Um suicida dirigindo um caminhão cheio de explosivos detonou os veículos em frente à sede do KDP. É uma área movimentada, dezenas de pessoas foram mortas e feridas", disse o policial de brigada Sarhat Qadir à Reuters.

Autoridades de saúde locais de Kirkuk e policiais informaram que pelo menos 15 pessoas foram mortas e mais de 100 ficaram feridas.

Outras três pessoas morreram e 37 ficaram feridas em um atentado separado do lado de fora do escritório de um partido político curdo rival em Tuz Khurmato, 170 quilômetros ao norte da capital.

Os ataques aconteceram um dia depois de um homem-bomba matar um parlamentar sunita muçulmano influente no oeste do Iraque, onde milhares de manifestantes sunitas vêm realizando protestos em massa contra Maliki.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEKIRKUKEXPLOSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.