Explosões atingem órgãos de imprensa em Gaza

Uma explosão atingiu na quinta-feira um edifício onde funcionam a sucursal da Reuters e de vários outros veículos de comunicação na Faixa de Gaza. Colegas disseram que um jornalista da TV de Abu Dhabi (Emirados Árabes) ficou ferido. Jornalistas da Reuters que trabalhavam na sucursal naquele momento disseram que um míssil ou foguete de Israel aparentemente atingiu o lado sul do 13o andar da Torre Al Shurouq, no centro da Cidade de Gaza. A Reuters retirou seus funcionários do prédio, mas uma câmera que transmite imagens ao vivo de Gaza desde o início da guerra continuou funcionando. Imagens de TV de um outro local mostraram fumaça saindo dos andares superiores do prédio de 16 andares. A TV de Abu Dhabi, onde o jornalista ficou ferido, funciona no 14o andar. No 13o há uma produtora de TV local. A sucursal da Reuters é no 12o andar. Um porta-voz militar israelense conversara com funcionários da Reuters em Jerusalém pouco antes da explosão, para confirmar a localização da sucursal da agência em Gaza. A Reuters havia fornecido ao Exército as coordenadas geográficas da sua sucursal no início da guerra, e em várias ocasiões recebeu garantias de que o local não seria alvejado. Depois da explosão, uma porta-voz militar disse estar se informando sobre o incidente. Ela declarou que as tropas israelenses trocavam tiros com o Hamas na cidade e que alguns guerrilheiros teriam ocupado um edifício da imprensa naquele bairro na noite de quarta-feira. Jornalistas da Reuters disseram não estar cientes da presença de militantes armados no prédio antes do ataque. Durante a invasão norte-americana em Bagdá, em abril de 2003, um cinegrafista da Reuters foi morto e três colegas ficaram feridos pelo disparo de um tanque dos EUA contra a sucursal da agência no hotel Palestine. Um cinegrafista espanhol também morreu naquele incidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.