Explosões de carros-bomba matam 20 no Iraque

Artefato explode perto de Embaixada da Polônia, na capital; em Dijlah, a 130 km de Bagdá, suicida mata nove

Efe e Associated Press,

08 de outubro de 2007 | 10h35

Pelo menos 20 pessoas morreram em explosões de carros-bomba ocorridas nesta segunda-feira, 8, em Bagdá e numa cidade ao norte da capital iraquiana, informaram autoridades locais. Os ataques deixaram também dezenas de feridos. Uma das explosões ocorreu perto da Embaixada da Polônia em Bagdá. O ataque ocorre cinco dias depois de o embaixador polonês ficar ferido em um atentado contra o comboio onde viajava. Nesse incidente, um civil iraquiano morreu e quatro pessoas ficaram feridas, entre elas três trabalhadores da embaixada, devido à explosão quase simultânea de três artefatos na passagem do comboio. O ataque mais mortífero do dia ocorreu no início da tarde, quando um militante suicida a bordo de um caminhão-bomba atacou uma delegacia na cidade de Dijlah, 130 quilômetros ao norte de Bagdá. Nove pessoas morreram e 26 ficaram feridas. Três dos mortos eram policiais. A maioria das vítimas era composta por civis. Pouco antes, por volta das 12h30 locais, um carro-bomba explodiu em um mercado popular próximo do departamento de tecnologia da Universidade de Bagdá, informou a polícia local. Cinco civis morreram e 15 ficaram feridos, informou a polícia local. Havia mulheres e crianças entre os feridos. Os sobreviventes foram socorridos em um hospital próximo. De acordo com a polícia, pelo menos seis veículos estacionados nas proximidades do local foram bastante danificados pelo impacto da explosão. Cerca de meia hora antes, outro carro repleto de explosivos foi detonado perto de um posto policial no bairro xiita de Kamaliyah, na zona leste de Bagdá. Seis civis ficaram feridos, informou a polícia. Ainda na capital iraquiana, uma explosão próxima da Embaixada da Polônia matou dois iraquianos e feriu cinco, disseram autoridades locais. A representação diplomática fica em Karradah, no centro de Bagdá. Na semana passada, o embaixador polonês, general Edward Petrzyk ficou gravemente ferido quando o comboio no qual viajava foi alvo de uma emboscada perto de embaixada. Um guarda-costas e dois civis iraquianos morreram no ataque. Em Tikrit, 130 quilômetros ao norte de Bagdá, um militante suicida a bordo de um carro-bomba atacou um posto policial, provocando a morte de três oficiais e de um civil. Dez pessoas ficaram feridas, prosseguiu a polícia. Matéria ampliada às 13h34

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.