Explosões deixam 55 mortos e 120 feridos no Iraque

Duas bombas explodiram num intervalo de poucos minutos no centro de Bagdá; EUA anunciam retirada de tropas

Reuters,

06 de março de 2008 | 16h24

Duas bombas explodiram em um intervalo de poucos minutos no centro de Bagdá e deixaram 55 mortos e cerca de 120 feridos nesta quinta-feira, 6, informou Qassim Moussawi, porta voz de operações de segurança do Iraque.       Veja também:    Desemprego no Iraque pode retardar saída dos EUA, diz general As explosões ocorreram em uma área de comércio do bairro central de Karrada, na capital iraquiana, no dia em que o exército dos Estados Unidos anunciou a retirada de 2 mil homens de Bagdá. Segundo relatos, várias fachadas de lojas foram danificadas e mais de 12 ambulâncias estiveram no local. Embora a violência tenha diminuído no Iraque nos últimos meses, autoridades iraquianas e norte-americanos dizem que a Al-Qaeda, acusada pelos EUA pela maioria dos ataques no país, continua perigosa. Na segunda-feira, 3, dois ataques a bombas no centro e no leste de Bagdá deixaram 19 mortos, mesmo com o aumento da segurança para visita do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad. No mês passado, duas mulheres mataram 99 pessoas quando detonaram explosivos em um mercado lotado, no centro da capital iraquiana.  Retirada de tropas  O exército americano declarou nesta quinta-feira, 6, que cerca de 2 mil soldados americanos serão retirados de Bagdá, como parte de uma redução planejada das forças militares dos EUA no Iraque. Eles integram uma divisão que fazia parte dos 30 mil soldados mandados ao país em 2007, para conter a violência entre muçulmanos xiitas e sunitas, que ameaçava levar o país à guerra civil. Desde que tropas extras foram enviadas, em meados de 2007, no entanto, a violência no país caiu 60%, fazendo com que o general David Petraeus, comandante das forças americanas no Iraque, anunciasse a retirada de cinco das 20 brigadas até julho.     (Matéria atualizada às 18h50 para acréscimo de informação)  

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueataquestropas americanasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.