Explosões em hoteis deixam ao menos 36 mortos em Bagdá

As explosões ocorrem cerca de um mês e meio depois de uma série de cinco detonações na capital

Associated Press, REUTERS

25 de janeiro de 2010 | 12h26

Terroristas suicidas atacaram com carros-bomba três hotéis de Bagdá populares com jornalistas e empresários ocidentais, matando pelo menos 36 pessoas e ferindo mais de 80.  

 

Dois policiais informaram que a primeira explosão ocorreu às 15h40 no estacionamento do Hotel Sheraton, derrubando a alta muralha de concreto construída para proteger o local.   Duas outras explosões seguiram-se num intervalo de poucos minutos, perto do Hotel Babilônia e do al-Hamra.  

 

O principal porta-voz militar do Iraque, general Qassim al-Moussawi, disse que suicidas tinham cometido os três ataques. Autoridades informa  que o número de mortos ainda pode subir.  

 

As explosões ocorrem cerca de um mês e meio depois de uma série de cinco detonações ter atingido Bagdá, matando 127 pessoas e ferindo mais de 500. Os atentados de 8 de dezembro - que incluíram ataques suicidas do lado de fora de um complexo judiciário e do Ministério das Finanças - trouxeram uma onda de indignação da parte membros do parlamento e outras figuras por conta da falta de segurança na capital.  

 

Diversas explosões, em agosto e outubro, também visaram prédios públicos, matando mais de 225 pessoas. O primeiro-ministro Nouri al-Maliki atribuiu os atentados do ano passado a grupos leais ado partido Baath, que apoiava a ditadura de Saddam Hussein e que hoje está na ilegalidade.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEEXPLOSAOHOTEIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.