Explosões matam 13 pessoas e ferem 100 em mercado de Bagdá

Pelo menos 13 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas, nesta sexta-feira, quando duas bombas explodiram em um mercado em Bagdá, disseram a polícia iraquiana e fontes de hospitais, no mais recente ataque contra muçulmanos xiitas.

KAREEM RAHEEM, REUTERS

22 de junho de 2012 | 09h39

Uma onda de ataques neste mês, principalmente contra peregrinos e santuários xiitas, já matou mais de 130 pessoas e alimentou temores de que o Iraque poderia mergulhar de novo em um derramamento de sangue sectário, do mesmo tipo teve pico em 2006 e 2007.

As tensões estão em alta desde que as tropas norte-americanas deixaram o país em dezembro, com xiitas, sunitas e facções políticas disputando o poder.

A primeira explosão atingiu Husseiniya, um mercado em uma área principalmente xiita, nos arredores da capital iraquiana, onde as pessoas estavam comprando mantimentos e outros bens, disseram as fontes.

A segunda explosão aconteceu logo em seguida, quando as forças de segurança e as pessoas estavam reunidas no local para cuidar das vítimas do primeiro ataque.

"Frutas e legumes foram jogados por toda parte. Algumas crianças ficaram feridas ", disse Mudhaffar Khalaf, um policial no local. "Nós começamos a retirar os feridos."

Também nesta sexta-feira, homens armados utilizando armas silenciosas em um carro em alta velocidade dispararam contra um posto policial no bairro de Bayaa, no sudoeste de Bagdá, matando três policiais, segundo a polícia local e fontes hospitalares.

Três civis também ficaram feridos quando uma bomba explodiu perto de um posto de controle militar em Mosul, de acordo com uma fonte da polícia local.

(Reportagem adicional de Jamal al-Badrani)

Mais conteúdo sobre:
IRAQUEBOMBASXIITAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.