Karim Kadim/AP
Karim Kadim/AP

Explosões matam ao menos 50 no aniversário da invasão do Iraque

Carros-bomba explodiram perto de um mercado movimentado de Bagdá, próximo da Zona Verde

Reuters

19 de março de 2013 | 07h51

BAGDÁ - Carros-bomba e uma explosão suicida atingiram bairros xiitas de Bagdá e ao sul da capital iraquiana nesta terça-feira, 19, matando pelo menos 50 pessoas, na véspera do 10º aniversário da invasão que derrubou Saddam Hussein.

Insurgentes islâmicos sunitas ligados à Al-Qaeda intensificaram ataques a alvos xiitas desde o começo do ano, em uma campanha para alimentar a tensão sectária e minar o governo do primeiro-ministro Nuri al-Maliki.

Carros-bomba explodiram nesta terça-feira perto de um movimentado mercado de Bagdá, próximo da altamente fortificada Zona Verde, e em outros bairros da capital. Um homem-bomba dirigindo um caminhão atacou uma base da polícia em uma cidade xiita ao sul da capital, informaram fontes policiais e em hospitais.

"Estava dirigindo o meu táxi e de repente senti meu carro balançar. Fumaça estava por todo o lado. Eu vi dois corpos no chão. As pessoas estavam correndo e gritando em todo lugar", disse o taxista Al Radi, que foi pego em uma das explosões em Sadr City, em Bagdá. Outras 160 pessoas ficaram feridas nos ataques, segundo autoridades hospitalares.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelas explosões desta terça, porém o braço iraquiano ligado à Al-Qaeda, Estado Islâmico do Iraque, jurou recuperar o território perdido em sua longa guerra contra tropas norte-americanas. Desde o início do ano, o grupo realizou uma série de grandes ataques.  Uma década depois de os EUA e tropas ocidentais invadirem o Iraque e removerem Saddam do poder, o Iraque ainda enfrenta dificuldades com uma insistente insurgência, fricções sectárias e instabilidade política entre facções xiitas, sunitas e curdas.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA10 anos da invasão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.