Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Jason Reed /Reuters
Jason Reed /Reuters

Exxon retira trabalhadores estrangeiros de campo de petróleo no Iraque, diz Reuters

Fontes informaram à Reuters que a produção no local não foi alterada, uma vez que os engenheiros iraquianos continuam trabalhando normalmente

Reuters, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2019 | 08h05

DUBAI/BASRA - A companhia petrolífera Exxon Mobil retirou todos os seus funcionários estrangeiros empregados no campo de produção de Qurna 1, no oeste do Iraque. A medida foi tomada em meio à crescente tensão política entre Irã e Estados Unidos. As informações são da Reuters.

A produção no campo de exploração de petróleo não foi afetada e continua sob supervisão de engenheiros iraquianos. "A produção já é comandada normalmente pelos engenheiros iraquianos", disse um oficial. "Temos um circuito de televisão fechado que nos permite comunicar com eles sempre que precisarmos".

Os funcionários estrangeiros foram retirados em fases entre a noite de sexta-feira, 17, e a madrugada de sábado. Eles foram levados diretamente para Dubai ou para a sede principal da companhia petrolífera na província de Basra.

"Na última noite, 28 funcionários foram retirados para o aeroporto e o resto foi enviado para Basra. Nesta manhã, estes também foram levados para o aeroporto", disse um funcionário de segurança privada que supervisionou a evacuação.

Dias de ameaças militares entre Washington e Teerã aumentaram a tensão na região, com a preocupação de um conflito entre Estados Unidos e Irã. Os EUA retiraram na quarta-feira, 15, todos os seus funcionários que não são emergenciais de sua embaixada em Bagdá, capital do Iraque. O país possui milícias xiitas simpatizantes ao governo iraniano.

Washington aumentou as sanções econômicas e sua presença militar no Oriente Médio, acusando o Irã de ameaçar suas tropas e interesses. Por sua vez, o Irã classificou as decisões norte-americanas como "terror psicológico" e "jogo político".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.