Facções palestinas aceitam acordo para trégua com Israel

Governo egípcio, responsável pela mediação, confirma pacto de cessar-fogo, mas não menciona detalhes

Efe e Associated Press,

30 de abril de 2008 | 08h27

Doze facções palestinas, entre eles a Jihad Islâmica e os Comitês de Resistência Popular, endossaram a idéia de cessar-fogo proposto pelo Egito depois de uma série de reuniões no Cairo com Omar Suleiman, o influente diretor dos serviços secretos egípcios. O governo egípcio confirma o acordo em torno da proposta de cessar-fogo, mas não menciona ressalvas ou preocupações com detalhes do pacto, informa a agência estatal de notícias Mena.   As conversas ocorrem dentro dos esforços egípcios para alcançar uma postura palestina unificada diante de uma possível trégua com Israel que já foi aceita pelo movimento nacionalista Fatah e pelo grupo islâmico Hamas. Essa trégua incluiria o fim das agressões israelenses, a suspensão do bloqueio de Israel sobre a Faixa de Gaza, um diálogo entre palestinos e uma troca de prisioneiros.   O Egito vem tentando mediar um acordo de cessar-fogo que inclua uma trégua de seis meses entre Israel e os rebeldes palestinos radicados na Faixa de Gaza, uma troca de prisioneiros e a abertura dos entroncamentos de fronteira com o território litorâneo. Anwar Raja, da Frente Popular de Libertação da Palestina-Comando Geral (FPLP-CG), disse que as facções aceitam a idéia de uma trégua, mas a consideram "cercada de perigos". O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, e o Fatah, que controla a Cisjordânia, não estão entre as facções que visitam o Cairo.    As facções condicionaram a aceitação de uma trégua com Israel a que seja bilateral, inclua também a Cisjordânia e a abertura das passagens fronteiriças, entre elas a de Rafah, que liga a Faixa de Gaza ao Egito.

Tudo o que sabemos sobre:
palestinosIsraelHamasEgíto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.