Faixa de Gaza foi controlada por otomanos, egípcios e judeus

Território onde vive cerca de 1,5 milhões de palestinos encontra-se atualmente isolado por bloqueio israelense

Agências internacionais,

25 de janeiro de 2008 | 15h17

Após serem isolados por um bloqueio imposto por Israel - que alega atuar contra o lançamento de foguetes contra o seu território por militantes palestinos -, os moradores da Faixa de Gaza forçaram a abertura da fronteira com o Egito na última quarta-feira, 23, lançando à comunidade internacional uma velha polêmica: de quem deve ser a responsabilidade sobre o território?   A região, que já foi controlada por otomanos, egípcios e judeus, encontra-se atualmente sob responsabilidade de Israel, que fornece energia e suprimentos ao território. Com a abertura forçada da fronteira com o Egito, e o conseqüente rompimento do bloqueio imposto por Israel, os israelense não hesitaram em sugerir: por que o Egito, que já controlou a região, não volta a se responsabilizar por Gaza? O Egito rejeita a sugestão.   Independentemente dos interesses políticos em jogo, o fato é que a história da região é marcada por idas e vindas. O Império Otomano dominou a Faixa de Gaza durante centenas de anos até a Primeira Guerra Mundial, quando o território tornou-se parte do Mandato Britânico Palestino. A região ficou sob domínio do Egito durante a guerra de 1948 entre árabes e israelenses, que levou à criação do Estado judaico. A população da Faixa de Gaza triplicou nos anos de 1948 e 1949 porque o território absorveu cerca de um quarto das centenas de milhares de refugiados palestinos expulsos de áreas agora pertencentes a Israel.   Israel tomou a Faixa de Gaza do Egito na guerra de 1967 e colocou fim a sua presença militar no território em setembro de 2005, retirando dali também 8.500 colonos judeus que ocupavam 21 enclaves.   A Faixa de Gaza é um território retangular e árido, localizado na ponta sudeste do Mediterrâneo, com cerca de 45 quilômetros de comprimento e 10 quilômetros de largura. Ele está limitado ao norte e leste por Israel e pela península do Sinai (Egito) ao sul. A região é habitada há mais de 3.000 anos e foi ponto de passagem para antigas civilizações e um entreposto estratégico no Mediterrâneo.   Cerca de 1,5 milhão de palestinos moram na Faixa de Gaza, mais da metade deles refugiados das guerras contra Israel. O território tem uma das densidades populacionais mais altas do mundo e uma das mais altas taxas de crescimento demográfico do planeta. A maior parte dos habitantes da região vive com menos de US$ 2 dólares/dia. O nível de desemprego ultrapassa a casa dos 50% devido às limitações de locomoção impostas por Israel, o que diminui o comércio através da fronteira e o acesso a postos de trabalho.   Favelas de concreto e muros cobertos com a imagem de militantes palestinos mortos por Israel espalham-se por dunas de areias pontuadas por palmeiras e pilhas de lixo não-coletado. As carroças puxadas por burros voltaram a ganhar espaço como meio de transporte na região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.