Falta de progresso político no Iraque decepciona os EUA

Secretário de Defesa diz que seu governo subestimou a falta de confiança entre as facçõs no país

BBC Brasil, BBC

03 de agosto de 2007 | 15h36

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, disse nesta sexta-feira, 3, que está decepcionado com a falta de progresso político no Iraque. Gates disse que o governo do presidente americano, George W. Bush, provavelmente subestimou a profundidade da falta de confiança entre as várias facções iraquianas. Para o secretário, os acontecimentos recentes - como a saída do governo do principal bloco árabe sunita - foram desanimadores. O aumento no número de soldados americanos pode dar facilitar a reconciliação no país, acrescentou Gates. Um correspondente da BBC em Bagdá afirmou que os comentários de Gates são vistos por muitos como um voto de desconfiança na capacidade do primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki. A Frente de Coordenação Iraquiana Sunita, que tinha seis ministros no gabinete, se retirou do governo iraquiano afirmando que a administração liderada pelos xiitas não conseguiu atingir uma lista de exigências, incluindo a ação mais severa contra milícias xiitas. "De alguma forma, todos nós subestimamos a profundidade da falta de confiança e como seria difícil para eles se unirem para decidir sobre legislações", disse Gates. "Os tipos de legislação que eles estão falando vão estabelecer a moldura para o futuro do Iraque, então é quase como a nossa convenção constitucional." Gates falou a jornalistas quando estava embarcando para os Estados Unidos, depois de visitar o Egito e a Arábia Saudita com a Secretária de Estado americana Condoleezza Rice, como parte de sua viagem pelo Oriente Médio. Desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003 para tirar Saddam Hussein do poder, o Iraque está sofrendo com a insurgência contra os americanos e violência sectária, que custou milhares de vítimas.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.