Fatah al Islam assume autoria de atentado em quartel no Líbano

Grupo se diz responsável por ataque em quartel que matou 1 militar libanês ocorrido no sábado passado

Efe,

02 de junho de 2008 | 13h46

O grupo radical sunita Fatah al Islam reivindicou nesta segunda-feira, 2, a autoria do atentado cometido no sábado passado que matou um militar libanês em um quartel no norte do Líbano. Em comunicado enviado à libanesa "Agência Nacional de Notícias" ("ANN"), o Fatah al Islam afirmou que esse ataque é em resposta ao confronto que travou o ano passado contra o Exército no campo de refugiados palestinos de Nahr el-Bared, próximo à cidade de Trípoli, no qual 400 pessoas morreram, a metade delas militares. Entre 20 de maio e 2 de setembro de 2007, Nahr el-Bared foi cenário de violentos confrontos entre milicianos desse grupo, entrincheirados em seu interior e soldados libaneses, que se saldaram com 400 mortos, quase a metade deles membros do Exército. O chefe do Fatah al Islam, Chaker Absi, fugiu durante a tomada do campo pelo Exército e até agora permanece em paradeiro desconhecido. No sábado passado, uma bomba explodiu dentro de um quartel dos serviços de inteligência das Forças Armadas em Al-Abda, no norte do país, e causou a morte de um militar libanês. Segundo o jornal pró-governamental Al-Liwa, outras três bombas foram encontradas dentro do quartel, onde o exército iniciou uma investigação sobre o fato. Horas depois desse atentado, soldados libaneses mataram um suposto terrorista que estava com um cinto de explosivos preso ao corpo e uma granada, e que aparentemente cometeria um ataque contra um posto militar próximo ao campo de refugiados palestinos de Ein el-Hilweh, o maior do Líbano, nos arredores da cidade de Sidon. Segundo a imprensa libanesa, o homem poderia ser de um país do Golfo Pérsico.

Mais conteúdo sobre:
LíbanoatentadoFatah al-Islam

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.