Fatah descarta negociação de paz proposta pelo Hamas

A facção governistapalestina Fatah rejeitou na quinta-feira a possibilidade de umdiálogo com o grupo islâmico Hamas, diante das ameaçasisraelenses de que isso seria "torpedear" um processo de pazcom o Estado judeu. Fontes palestinas disseram que membros do Hamas e da Fatahdiscutiram a possibilidade de uma negociação de paz, mas que oslíderes da Fatah exigiram como pré-condição que o Hamas ceda ocontrole da Faixa de Gaza, sob seu domínio desde a breve guerracivil de junho. "O que aconteceu em Gaza foi um golpe militar contra alegitimidade e contra a democracia", disse Abdallah Franji,membro do comitê central da Fatah, à Reuters. "Se elesrecuarem, aí poderíamos conversar. Agora não podemos." O presidente Mahmoud Abbas dissolveu em junho o gabinete deunidade nacional que havia sido formado pelas duas facçõesmeses antes. Isso levou EUA e Israel a atenuarem as sanções àCisjordânia, que continua sob comando da Fatah, e incentivouWashington a convocar uma conferência de paz para novembro. Ismail Haniyeh, que era primeiro-ministro no governo doHamas, disse na noite de quarta-feira que seu grupo estádisposto a conversar com a Fatah e sinalizou até mesmo com adevolução da Faixa de Gaza. Israel, que tenta fortalecer Abbas e isolar o Hamas, disseque as negociações entre as facções rivais iriam "torpedear" apreparação da conferência dos EUA, que pode levar à retomada doprocesso de paz entre palestinos e israelenses. "Estamos preocupados que, se vocês permitirem que estaorganização extremista, que se opõe à reconciliação, volte aopalco central, vocês vão na verdade torpedear qualquer chancede avançar", disse Mark Regev, porta-voz da chancelaria. Israel e o Ocidente pressionam o Hamas a reconhecer aexistência de Israel, abdicar da violência e aceitar acordos depaz pré-existentes. A Fatah se recusa a conversar até que o Hamas abandone osquartéis que ocupa em Gaza. O Hamas diz que isso deve ser partede um acordo, e não uma pré-condição. Uma fonte palestina disse que o diálogo Hamas-Fatahenglobaria também um cessar-fogo do Hamas contra Israel epossivelmente uma troca de prisioneiros. Uma fonte oficial palestina disse em setembro que o Hamastentou estabelecer discussões com Israel, mas que a iniciativafoi rejeitada. (Reportagem adicional de Nidal al-Mughrabi em Gaza)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.