Fatah não aprova reconciliação com o Hamas

Radicais afirmam que proposta do Egito não menciona resistência contra Israel

Associated Press,

15 de outubro de 2009 | 12h47

As lideranças da organização palestina Hamas, refugiada na Síria, disse nesta quinta-feira, 15, que recusou a proposta do Egito para se reconciliar com o grupo rival Fatah.

 

O Hamas e outras sete facções palestinas com base em Damasco emitiram um comunicado conjunto indicando que o plano de reconciliação deve ser revisado para incluir uma referência ao direito dos palestino de resistir À ocupação israelense.

 

"O texto apresentado pelo Cairo às facções palestinas não menciona a luta (com Israel) e a agressão ao nosso povo", dizia a nota, que acrescentava que os grupos não firmarão um acordo se não houver mudanças.

 

O Hamas ocupou Gaza pela força das armas há dois anos após desalojar as milícias do Fatah, grupo do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas. Desde então, os palestinos contam com governos rivais, com o Hamas no controle de Gaza e o Fatah com o comando da Cisjordânia.

 

O Egito tenta medias as negociações entre os palestinos, o que facilitaria um acordo de paz com Israel.

 

Na Cisjordânia, um funcionário do Fatah, Mohammed Dahlan, desaprovou os comentários do Hamas sobre as divisões palestinas e acrescentou que seu partido considera agora suas alternativas, incluindo a convocação unilateral de eleições. Dahlan também destacou que o Hamas controlou os ataques com foguetes na ofensiva iniciada por Israel na Faixa de Gaza no início do ano.

 

"Onde está a resistência em Gaza?", perguntou o funcionário. "Não estão interessados no bem estar dos palestinos ou na independência palestina. A única coisa com que se preocupam é deter o poder", disparou.

 

O Fatah anunciou na quarta-feira que aceitou a proposta egípcia de realizar eleições presidenciais e legislativas no ano que vem como parte de um plano que acabe com a rivalidade entre os partidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.