Filho de Khadaffi defende instituições independentes para Líbia

A Líbia precisa de reformaspara fortalecer sua democracia direta, o que inclui oestabelecimento de órgãos independentes, como um Banco Central,um tribunal supremo e imprensa, disse na segunda-feira um filhodo dirigente Muammar Khadaffi. Mas o reformista Saif Al Islam, que também detalhou umprojeto sócio-econômico de 82,8 bilhões de dólares, disse a umaplatéia de milhares de jovens que a liderança de seu pai e asharia (lei islâmica) não estão em discussão. "O próximo desafio para a Líbia é redigir um pacote de leisque vocês podem chamar de Constituição ou como quiserem, masque devem ser endossadas pelo povo para se tornar um contratoentre todos os líbios", disse ele em discurso transmitido aovivo pela TV estatal. Islam disse que o atual sistema político da Jamahirya,baseada no Livro Verde, em que Khadaffi mistura idéiasislâmicas com princípios socialistas, é bom no papel, mas quena prática tem algumas falhas. O sistema criminaliza a dissidência política e proíbe acriação de partidos e a eleição livre para o Parlamento. "A sociedade precisa ter uma imprensa independente paradestacar a corrupção, a mentira e a falsificação", disse ele."A Líbia deve ter uma sociedade cívica independente e órgãosindependentes." (Por Salah Sarrar)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.