Foguetes atingem a Zona Verde em Bagdá; militantes matam 7

A altamente protegida Zona Verde de Bagdáesteve sob um pesado ataque de foguetes ou morteiros nodomingo, e a polícia disse que pelo menos duas pessoas morreramfora do complexo governamental e diplomático. Em um outro incidente, militantes em três carros abriramfogo contra pedestres em uma área mista ao sul de Bagdá,matando pelo menos sete pessoas e ferindo 16, disse a polícia. A Zona Verde, protegida pelos EUA no centro de Bagdá, foicom freqüência atingida no auge da violência sectária, há umano, mas os ataques escassearam com a melhora da segurança nopaís. A primeira bateria de cerca de uma dúzia de foguetes oumorteiros que atingiu a Zona Verde ocorreu pouco antes das 6horas da manhã, horário local. Uma segunda bateria ocorreucerca de quatro horas depois, com outros oito projéteis. Fontes policiais dizem que duas pessoas morreram e cerca dedez foram feridas, aparentemente por foguetes que erraram oalvo ou que caíram fortuitamente, uma ao nordeste de Bagdá eoutra na área central de Bab-al-Sheik. Em Mosul, no sul do Iraque, um militante suicida em umcaminhão matou dez soldados iraquianos e feriu 30, incluindocivis, em um ataque a uma base do exército iraquiano, informouo Ministério do Interior. Comandantes militares dos EUAdescrevem Mosul como a última fortaleza urbana da Al Qaeda noIraque. O exército dos EUA disse ter matado 12 insurgentes em umaincursão numa casa a leste de Baquba, depois que a mídia localrelatou uma operação na cidade de Balad Ruz, a 70 quilômetros anordeste de Bagdá. "Seis dos terroristas mortos haviam se depilado, o que écoerente com as preparações finais para operações suicidas",disse o porta-voz major Winfield Danielson. Mosul e Baquba são as capitais de duas das quatroprovíncias ao norte do país, onde ofensivas foram lançadasneste ano contra militantes islâmicos sunitas da Al Qaeda quese reagruparam ali após terem sido expulsos de fortalezas aoredor de Bagdá e Anba, a oeste do Iraque. Não havia informações disponíveis sobre os últimos ataquesà Zona Verde. O exército dos EUA vem responsabilizando membrosda milícia Exército Mehdi, do clérigo anti-EUA Moqtada al-Sadr,por disparos de mísseis ocorridos anteriormente. Sadr no mês passado renovou um cessar-fogo de sete meses,gesto que o exército dos EUA aponta como uma das causas daacentuada queda na violência através do Iraque. No entanto, há temores de que o cessar-fogo possa estar sedesmanchando depois que membros do Exército Mehdi entraram emconfronto com forças do Iraque e dos EUA na cidade sulina deKut e no sul de Bagdá, na semana passada. A guerra do Iraque entrou no sexto ano na semana passada, eo presidente dos EUA, George W. Bush, disse na celebração doaniversário da invasão liderada por seu país que os EstadosUnidos estavam na trilha da vitória. Dezenas de milhares de iraquianos morreram por conta daviolência sectária entre a maioria xiita e a minoria sunitadesde a invasão, apesar de os ataques através do país teremdiminuído em 60 por cento desde junho último, segundocomandantes militares americanos. Com o número de soldados dos EUA mortos no Iraque chegandoa 4.000, a guerra continua a ser um importante tema naseleições presidenciais do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.