Foguetes disparados de Gaza atingem área urbana de Israel

Foguetes lançados por palestinos nesta quinta-feira a partir da Faixa de Gaza alcançaram uma área bem distante da fronteira, perto da esparramada zona urbana de Tel-Aviv. Israel bombardeou alvos em Gaza, numa ampliação do conflito que tem provocado temores de uma nova guerra na região.

NIDAL AL-MUGHRABI, REUTERS

24 de março de 2011 | 19h01

A polícia israelense disse que foguetes Grad de longo alcance disparados da Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, alcançaram a cidade de Ashdod e uma área ao norte desse porto no Mediterrâneo. Não houve registro de vítimas.

A violência perto da fronteira com Gaza se agravou nos últimos dias. Um atentado a bomba, na quarta-feira, que a polícia israelense atribuiu a militantes palestinos, deixou uma mulher morta e outras 30 pessoas feridas. Foi o primeiro ataque desse tipo na cidade desde 2004.

A Grã-Bretanha identificou a mulher morta como uma cidadã britânica, Mary-Jane Gardner, e a polícia israelense disse que ela era uma turista.

Militares israelenses afirmaram que cinco foguetes e uma granada de morteiro disparados de Gaza explodiram em Israel, sem causar vítimas. As escolas permaneceram fechadas em Ashdod e Beersheba, cidade no deserto do Neguev, atingida várias vezes pelos projéteis na semana passada.

Israel desfechou uma série de ataques contra Gaza ao longo do dia. Não há informações sobre vítimas.

Segundo dirigentes do Hamas, foram atingidos instalações de segurança interna do grupo na cidade de Gaza, um campo de treinamento adjacente e um lançador de foguetes no norte do território.

Em ataques anteriores, mísseis caíram em túneis usados para contrabando na fronteira entre Gaza e o Egito, um campo de treinamento do Hamas e um transformador de energia, o que causou apagões no território, segundo moradores.

"A responsabilidade é inteiramente do Hamas. Nós sabemos como agir e provamos isso no passado. Nós vamos atacar proporcionalmente quando necessário", disse o ministro da Defesa Civil israelense, Matan Vilnai, à Rádio Israel.

Israel diz que os ataques aéreos são uma resposta a barragens de foguetes, enquanto o Hamas afirma que seus disparos na semana passada foram uma reação aos bombardeios israelenses. Cinco militantes palestinos e quatro civis, incluindo três crianças, foram mortos por fogo israelense na terça-feira, em Gaza.

O aumento da violência motiva o temor de uma nova guerra entre Israel e o Hamas, movimento islâmico que governa o pequeno território desde 2007. Nos últimos meses a região permaneceu em relativa calma.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDGAZAFOGUETESISRAEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.