Forças de Kadafi atacam refinaria e matam 15, segundo testemunhas

Comboio de caminhões vindo de Sirte abriram fogo contra guardas em Ras Lanuf

REUTERS

12 Setembro 2011 | 08h05

RAS LANUF - Forças leais a Muamar Kadafi atacaram o portão principal de uma refinaria de petróleo próximo à cidade costeira de Ras Lanuf, na Líbia, matando 15 guardas e deixando outros dois feridos, disseram testemunhas.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

 

"Cerca de 14 a 15 caminhões vieram da direção de Sirte (controlada por forças de Kadafi) para Ras Lanuf", disse um trabalhador da refinaria, Ramadan Abdel Qader, que levou um tiro no pé durante o ataque.

"Ouvimos tiros e bombas aproximadamente às 9 da manhã (horário local) das forças leais a Kadafi", disse ele à Reuters.

Qader disse que ele e seus colegas estavam dormindo quando forças pró-Kadafi atacaram a refinaria.

A refinaria é controlada pelo Conselho Nacional de Transição da Líbia, os dirigentes oficiais do país depois que uma insurgência de seis meses derrubou Kadafi.

Um jornalista da Reuters viu corpos de 15 homens com feridas de balas no hospital de Ras Lanuf, onde os feridos estavam sendo tratados.

A refinaria, conhecida como a "Fábrica de Ras Lanuf para a Produção de Petróleo e Gás", não estava totalmente operante. Cerca de 60 funcionários estavam no local quando a refinaria foi alvo de ataque, disseram testemunhas.

"O objetivo desse ataque é assustar os guardas e os combatentes e prejudicar a produção de petróleo", disse Mohamed el-Ferjany, engenheiro na refinaria que não estava presente no ataque.

O premiê interino da Líbia disse no domingo que a produção de petróleo havia sido retomada em um local não divulgado, prometendo que mais produção seria reativada "em breve".

Mais conteúdo sobre:
LIBIA REFINARIA ATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.