Forças do governo iraquiano se aproximam de refinaria ocupada pelo Estado Islâmico

Forças do governo iraquiano chegaram a um quilômetro de distância da principal refinaria do país nesta sexta-feira, a posição mais próxima que já estiveram de romper um cerco do Estado Islâmico ao local durante meses de combates, disseram duas autoridades militares e uma testemunha.

RAHEEM SALMAN, REUTERS

14 de novembro de 2014 | 14h52

Houve confrontos em um vilarejo entre a refinaria e a cidade próxima de Baiji, perto de uma área desértica onde acredita-se que há bombas plantadas pelos militantes, o que tem impedido avanços das forças iraquianas, disseram as fontes.

Uma testemunha disse que as forças de segurança atravessaram uma ponte perto da refinaria, localizada 200 quilômetros a norte da capital Bagdá.

"Militantes do Daesh (Estado Islâmico) estão escapando na direção de um rio. Aviões estão atacando na direção deles", disse um capitão do Exército.

Militantes do Estado Islâmico ocuparam a cidade de Baiji e cercaram a refinaria em junho, durante uma ofensiva rápida pelo norte do Iraque.

O grupo também controla território na vizinha Síria, e proclamou um califado nas áreas sob seu domínio nos dois países.

O Exército iraquiano não apresentou inicialmente uma grande resistência ao Estado Islâmico, mas nas últimas semanas tem recebido ajuda de ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos contra posições ocupadas pelos militantes.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEREFINARIAESTADOISLAMICO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.