Forças do Irã prendem jornalista da AFP por cobrir protesto

Imprensa internacional tinha autorização para cobrir apenas atos pelos 30 anos da tomada da embaixada dos EUA

estadao.com.br,

05 Novembro 2009 | 10h47

A polícia iraniana deteve um jornalista da Agência France Presse (AFP) durante os protestos realizados na quarta-feira em Teerã, confirmou nesta quinta, 5, o diretor interino do escritório na capital iraniana, Jay Deshmukh. Farhad Pouladi estava cobrindo as manifestações quando foi interceptado por três agentes de segurança, dois deles uniformizados e outro civil, segundo testemunhos colhidos pela agência.

 

Veja também:

especialEspecial: O histórico de tensões do Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

 

Forças de segurança leais ao presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, voltaram a reprimir centenas de opositores que marchavam pelas ruas da capital no mesmo dia em que o governo celebrava o 30º aniversário da tomada da Embaixada dos EUA em Teerã, um dos marcos da Revolução Islâmica de 1979.

 

A imprensa internacional tem sido proibida desde junho de cobrir as manifestações da oposição iraniana nas ruas, consideradas "ilegais" pelo regime. No entanto, os repórteres estrangeiros foram autorizados a trabalhar na quarta no local da concentração organizada pelo regime, em frente à antiga embaixada dos EUA em Teerã.

 

A AFP afirmou que espera a "rápida" libertação do jornalista detido. A redatora chefe da agência, Florence Biedermann, disse que Pouladi se encontra em uma delegacia da capital iraniana, que seu estado de saúde é "bom" e que espera sua "rápida" libertação. "Seguimos recolhendo informações e trabalhando para conseguir sua libertação o mais rápido possível", acrescentou.

 

A marcha opositora levou às ruas novamente faixas e adereços verdes, cor associada ao candidato reformista derrotado nas eleições presidenciais de junho, Mir Houssein Mousavi.

Mais conteúdo sobre:
Irã

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.