Forças iraquianas detêm mais de mil suspeitos da Al Qaeda

As forças iraquianas prenderam mais demil suspeitos em uma ofensiva contra a Al Qaeda no norte doIraque, disse o comandante militar da operação no sábado. O primeiro-ministro Nuri al-Maliki voltou a Bagdá no sábadodepois de passar vários dias na cidade de Mosul e na provínciade Nineveh supervisionando as operações. Muitos homens do grupo islâmico sunita Al Qaeda sereagruparam em Nineveh depois que foram expulsos de outrasáreas. As Forças Armadas dos Estados Unidos dizem que Mosul é aúnica área urbana sob o controle da Al Qaeda no Iraque. O tenente-general Riyadh Jalal Tawfiq, comandante daofensiva iraquiana que começou há uma semana, disse que 1.068suspeitos foram detidos até agora. "Esta operação vai durar até que acabemos com todos osvestígios de terroristas e criminosos", disse ele. Na sexta-feira, Maliki disse que os rebeldes queentregassem as armas em dez dias receberiam anistia e umarecompensa em dinheiro. Sua oferta se aplica a rebeldes que nãomataram ninguém. O ministro da Defesa, major-general Mohammed al-Askari,disse que muitos militantes haviam entregado as armas. "Estamos comprometidos a dar a anistia e a garantir que nãohaverá processo judicial contra eles", disse ele, acrescentandoque o governo logo tornará público o valor da recompensadisponível para as diferentes armas. A lei iraquiana prevê que cada moradia pode ter um riflesemi-automático. (Por Aws Qusay e Khalid al-Ansary)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.