Forças sírias matam 25 em ataque aéreo em Aleppo, dizem ativistas

Um ataque aéreo realizado pelas Forças Armadas da Síria sobre um mercado de vegetais em Aleppo matou ao menos 25 pessoas no sábado, de acordo com um grupo de monitoramento, dando continuidade a uma campanha com "bombas de barril" improvisadas, que foi condenada por outros países.

Reuters

28 de dezembro de 2013 | 14h20

Um vídeo publicado na Internet pelo grupo local de ativistas Insaan Rights Watch mostra moradores retirando corpos dilacerados de carros amassados e queimados.

Uma estrada atingida pelo ataque estava coberta com escombros dos edifícios próximos e com corpos enfileirados, enquanto jovens gritavam por carros para ajudar a transportar os feridos. O conteúdo do vídeo não pôde ser verificado de forma independente.

Centenas de pessoas foram mortas por ataques aéreos perto de Aleppo nas últimas semanas, sendo muitas mulheres e crianças, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, um grupo de monitoramento pró-oposição baseado na Grã-Bretanha.

Neste sábado, o Observatório disse que 25 pessoas, sendo ao menos quatro crianças, foram mortas por bombardeios com barris que também destruíram parte de um hospital. O Observatório disse que o total de mortos vai provavelmente aumentar pois outras dúzias de pessoas foram feridas no ataque.

As autoridades sírias disseram que estão lutando contra rebeldes que controlam grandes pedaços da cidade, outrora o pólo comercial da Síria.

Grupos que lutam pelos direitos humanos e os Estados Unidos condenaram o uso das bombas improvisadas - barris de petróleo ou cilindros preenchidos com explosivos e fragmentos de metal. Eles dizem que isso é uma forma indiscriminada de bombardeio.

(Por Erika Solomon)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDSIRIABOMBABARRILALEPPO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.