Fadi Zaidan/Arquivo/AP
Fadi Zaidan/Arquivo/AP

Forças sírias matam 30 desertores em emboscada, diz oposição

Combatentes da oposição guiavam os desertores para um bairro controlado por rebeldes, disseram fontes

Reuters

12 de março de 2013 | 16h17

AMÃ - Forças do governo sírio mataram pelo menos 30 desertores do Exército em uma emboscada na estrada do Aeroporto de Damasco nesta terça-feira, 12, enquanto combatentes da oposição os guiavam a pé para um bairro controlado por rebeldes, disseram fontes da oposição.

Milhares de soldados, majoritariamente muçulmanos sunitas, desertaram desde o início do levante contra o presidente Bashar Assad há dois anos. Assad e a maior parte dos oficiais do Exército e forças de elite pertencem à seita alauíta, uma ramificação do Islã xiita.

"Eles cruzavam a rodovia para o leste de Ghouta quando foram emboscados", disse um comandante rebelde na região, sob anonimato. Ele estava se referindo a uma parte dos arredores a leste de Damasco que é controlada pela oposição.

"Foram emboscados às 2h. O regime tinha informações de que eles estavam vindo", disse outra fonte da oposição, acrescentando que outros sete do grupo de 40 ficaram feridos.

Uma fonte militar da oposição disse que rebeldes tinham invadido um esquadrão de mísseis no fim de semana manejado principalmente por alauítas na cidade de Khan al-Sheih, perto de Damasco, e matado pelo menos 30 dos soldados que escaparam para uma fazenda vizinha. "Os rebeldes capturaram mísseis ar-superfície, que não podem operar, e 11 armas contra aeronaves, que podem", disse a fonte.  Um vídeo divulgado pelo Observatório Sírio para os Direitos Humanos, uma organização de monitoramento sediada na Grã-Bretanha, mostrou uma longa fileira de corpos em um campo. "Várias brigadas, incluindo os Cavaleiros sunitas, invadiram com a bênção de Deus a Brigada de Defesa Aérea 137ª e mataram e capturaram muitos de seus membros", disse um narrador rebelde no vídeo. "Estes são os porcos deles...os cães de Assad", ele diz enquanto anda pelos corpos.

Tudo o que sabemos sobre:
primavera árabeSíriaBashar Assad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.