França apóia negociações entre governo afegão e Taleban

Bernard Kouchner espera que Paris seja anfitriã de encontro; diálogo pode contar com Irã e Paquistão

Agência Estado e Associated Press,

07 de outubro de 2008 | 14h59

A França apóia a realização de negociações entre o governo do Afeganistão e o comando da milícia fundamentalista islâmica Taleban e está disposta a participar dos contatos. A afirmação foi feita nesta terça-feira, 7, pelo ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, durante discurso perante a Assembléia Nacional, em Paris. Veja também:Taleban e Afeganistão negociam paz com mediação saudita O chanceler francês manifestou a esperança de que Paris possa atuar como anfitriã de tal encontro e informou que representantes do Irã e do Paquistão, vizinhos do Afeganistão, também seriam convidados a dialogar.  Durante o discurso, porém, Kouchner disse aos parlamentares franceses que ficou surpreso ao ouvir que o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, havia convidado o mulá Mohammed Omar, líder foragido do Taleban e integrante da lista de "terroristas mais procurados" pelos Estados Unidos, para participar de negociações com o objetivo de encerrar uma insurgência de sete anos que paralisa a reconstrução do país. Karzai, que em setembro do ano passado sinalizou pela primeira vez em público a disposição de negociar com o mulá Omar, comentou que vem pedindo há dois anos à Arábia Saudita que ajude a atrair o Taleban para negociações de paz.  O Taleban governou o Afeganistão de 1996 e 2001, quando foi deposto em meio a uma ofensiva militar internacional liderada pelos Estados Unidos em resposta aos atentados de 11 de Setembro.  O grupo era acusado de dar abrigo ao milionário saudita no exílio Osama bin Laden, líder da rede extremista Al-Qaeda, responsabilizada pelos ataques.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaTalebanAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.