França e Grã-Bretanha se preocupam com armas químicas na Síria

Chanceleres consideram que 'a crise síria está cada vez mais ameaçando a estabilidade regional'

Reuters

22 de março de 2013 | 09h14

BRUXELAS - Os ministros de Relações Exteriores britânico e da França expressaram preocupação crescente com a aparente disposição do presidente Bashar Assad de usar armas químicas na guerra civil na Síria.

Em uma carta, com data de 21 de março, à chefe de Política Externa da União Europeia, Catherine Ashton, os chanceleres Laurent Fabius e William Hague disseram: "A crise está cada vez mais ameaçando a estabilidade regional ... e estamos cada vez mais preocupados com a vontade do regime de usar armas químicas."

Tudo o que sabemos sobre:
primavera árabeSíriaarmas químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.