França espera acordo sobre energia nuclear com Irã na segunda

Baseado na exportação de urânio, pacto 'reduziria a curto prazo risco de produção de armas'

Efe,

15 de outubro de 2009 | 11h55

O governo da França afirmou nesta quinta-feira, 15, que tem esperanças de chegar a um acordo com o Irã sobre a utilização de energia nuclear nesse país, durante a reunião multilateral que será realizada na próxima segunda-feira, em Viena.

 

Veja também:

linkPutin alerta potências sobre intimidar Irã com sanções

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

 

Um porta-voz do Ministério de Exteriores da França afirmou que o acordo será baseado na exportação, até o final de 2009, de 1,2 mil quilos de urânio enriquecido da central iraniana de Natanz à Rússia, para seu novo enriquecimento. Paralelamente, a França fabricará quatro núcleos de combustível destinados ao reator de pesquisa iraniana, segundo precisou o funcionário.

 

As condições deste acordo "reduzem a curto prazo o risco de que o Irã possa desviar este urânio para fabricar uma arma nuclear". Além disso, "permite que Teerã se beneficie de uma garantia de entrega de combustível de longa duração para a produção de rádio-isótopos com fins médicos", disse o porta-voz.

 

"Desejamos que o Irã responda o mais rápido possível, a fim de que possamos avaliar até o final do ano se, além das intenções expressadas em 1º de outubro, o Irã manifesta com atos concretos a profunda mudança de comportamento que pedimos", acrescentou.

 

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, teve uma reunião por telefone na quarta-feira com o líder dos EUA, Barack Obama, para tratar o caso nuclear iraniano. Os dois líderes destacaram a necessidade de manter a unidade e a pressão internacional frente às ambições nucleares iranianas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.