França, Grã-Bretanha e Alemanha pedem mais sanções da UE ao Irã

Medidas poderiam ser adotadas ainda na próxima semana, segundo ministro de Exteriores alemão

Reuters

07 de setembro de 2012 | 17h58

PAPHOS - As três principais potências da União Europeia - Alemanha, Grã-Bretanha e França - pediram nesta sexta-feira, 7, ao restante do bloco que sejam impostas novas sanções contra o Irã pelo seu programa nuclear.

 

Enquanto Israel continua ameaçando uma ação militar contra as instalações nucleares iranianas, o ministro alemão de Relações Exteriores, Guido Westerwelle, disse que o descumprimento das exigências internacionais para que o Irã abandone seu programa de enriquecimento atômico significa que a UE deveria discutir novas sanções nas próximas semanas.

 

"Sanções são necessárias, e logo. Não posso ver que haja realmente um desejo construtivo de discussões substanciais por parte do lado iraniano", disse Westerwelle à Reuters em uma conferência ministerial em Chipre.

"Se eles não voltarem à mesa, então provavelmente a próxima rodada (de sanções) será necessária. Isso não é algo para o ano que vem, estamos falando das próximas semanas", disse ele.

O ministro chamou de "frustrantes" as três rodadas de reuniões ocorridas este ano entre o Irã e seis potências mundiais, inclusive a Alemanha.

Os EUA e seus aliados suspeitam que o Irã esteja tentando desenvolver armas nucleares, algo que a República Islâmica nega.

Participando do mesmo encontro em Chipre, o chanceler da França, Laurent Fabius, disse que a diplomacia continua em um impasse.

"Vamos discutir nos próximos dias os detalhes para o fortalecimento das sanções", disse Fabius a jornalistas. Ele sugeriu que novas medidas podem atingir as finanças, o comércio e a exportação de petróleo por parte do Irã, mas não entrou em detalhes.

A mais recente rodada de sanções da UE ao Irã, implementada em julho, já proíbe a importação de petróleo iraniano no bloco e isola o setor bancário do país, de modo que não ficou claro quais medidas adicionais poderiam ser impostas.

Os ministros não chegaram a discutir possíveis alvos para as sanções.

Os ministros de Relações Exteriores da UE estão reunidos em Chipre para discutir assuntos como a resposta do bloco ao programa nuclear iraniano e a crise na Síria, mas não está previsto que eles tomem decisões.

Os EUA também exercem crescente pressão diplomática sobre o Irã, e o Canadá anunciou nesta sexta-feira que vai fechar sua embaixada em Teerã.

Tudo o que sabemos sobre:
IRASANCOESEUROPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.