Fronteira líbia com Egito é controlada por militantes armados da oposição

Local está sendo utilizado por egípcios que tentam fugir do país

Reuters e Efe

22 de fevereiro de 2011 | 09h51

MUSAID - O lado líbio da fronteira com o Egito estava sob controle de homens armados contrários ao líder Muamar Kadafi nesta terça-feira, disse um correspondente da Reuters no local.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

mais imagens Galeria:   Veja imagens dos conflitos

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

blog Radar Global: Acompanhe os protestos na região

Um deles segurava uma foto de Kadafi na qual o líder estava de cabeça para baixo, desfigurado, sob a inscrição "o tirano açougueiro, assassino dos líbios", disse o correspondente, enviando informações da cidade de Musaid, no lado líbio da fronteira.

 

 

As Forças Armadas do Egito disseram na noite de segunda-feira que os guardas da fronteira líbia haviam se retirado do local e que o lado líbio da fronteira estava sob o controle de "comitês do povo", sem dar maiores detalhes sobre suas alianças.

 

Segundo informações da rede de televisão Al-Jazira,  fontes egípcias na fronteira revelaram que os militantes da oposição assumiram o controle da zona nas últimas 12 ou 24 horas.

Esse ponto está sendo utilizado por egípcios que estão fugindo do país pela repressão do regime de Kadafi contra militantes da oposição. Cerca de 1,5 milhão de egípcios vivem atualmente na Líbia.

Segundo a emissora, a situação nesse ponto limítrofe, a 1,6 mil quilômetros de Trípoli, é completamente caótica.

Benghazi, a segunda maior cidade da Líbia e localizada entre Trípoli e a fronteira com o Egito, ficou sob controle dos manifestantes da oposição.

Um advogado afirmou à "Al Jazeera" que os opositores também tomaram o controle da cidade de Al Bayda, situada entre Benghazi e a fronteira com o Egito.

 

 

Leia ainda:

linkEmbaixador da Líbia nos EUA renuncia de 'regime ditatorial'

linkAtaques na Líbia podem ser crimes contra a humanidade, diz ONU

linkAviões militares retomam ataques contra manifestantes

linkNa televisão, Kadafi ignora protestos e pressão internacional

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAFRONTEIRAEGITO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.