Funcionários da Blackwater deixam de trabalhar em Bagdá

Empresa de segurança privada é acusada de abrir fogo contra civis; após incidente, foi proibida de trabalhar

Agência Estado e Associated Press,

07 de maio de 2009 | 11h54

A Embaixada dos Estados Unidos informou que o contrato se segurança para Bagdá da Xe, atual nome da Blackwater Worldwide, terminou nesta quinta-feira, 7. A empresa vai continuar atuando temporariamente em outras regiões do Iraque. A confirmação do fim das operações da empresa em Bagdá é um importante passo na saída da empresa do país, que se tornou um símbolo da ira dos iraquianos após seus funcionários terem matado civis em 2007.

 

Funcionários do Departamento de Estado disseram que a companhia vai permanecer em algumas áreas do sul do Iraque e seu serviço de aviação, o Presidential Airways, vai fornecer segurança aérea para comboios de diplomatas norte-americanos até setembro. A porta-voz da Embaixada norte-americana, Susan Ziadeh, disse que as tarefas da empresa em Bagdá terminaram e que uma nova empresa, Triple Canopy, está assumindo as funções.

 

O governo iraquiano negou, em janeiro, uma nova licença para que a Xe operasse no país. Mas a ex-Blackwater vai continuar a proteger diplomatas norte-americanos, elevando as preocupações sobre a força da soberania iraquiana, já que o país continua muito dependente da segurança fornecida pelos Estados Unidos.

 

Os iraquianos reclamam do comportamento dos funcionários da Blackwater e de outras empresas. Em setembro de 2007, guardas de Blackwater abriram fogo na praça Nisoor, em Bagdá, matando 17 civis iraquianos. O incidente deixou tensas as relações entre Bagdá e Washington, levando o governo iraquiano a exigir que a empresa fosse expulsa do país. Em fevereiro, a Blackwater mudou seu nome para Xe, numa tentativa de deixar sua reputação controversa para trás.

 

Depois das mortes da praça Nisoor, o Iraque decidiu que a Blackwater deveria ser impedida de operar no país. Apesar disso, o Departamento de Estado renovou o contrato da empresa sete meses mais tarde, em abril de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.