Warren Toda/Efe
Warren Toda/Efe

G-8 quer medidas 'fortes e apropriadas' contra o Irã, mas não menciona sanções

Chanceleres se dizem preocupados com programa nuclear, mas defendem diálogo

Reuters

30 de março de 2010 | 07h22

OTTAWA - Ministros do Exterior dos países membros do G-8 pedirão à comunidade internacional que tome "medidas apropriadas e fortes" para mostrar sua determinação sobre as atividades nucleares do Irã.

Um esboço do comunicado final a ser divulgado pela cúpula ao fim da reunião de dois dias no Canadá também afirma que o G-8 segue aberto ao diálogo com Teerã, que nega as acusações do Ocidente de que está buscando construir armas atômicas.

 

O documento faz parte de uma recente campanha de pressão de várias potências mundiais para forçar o Irã a atender as exigências do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas e cooperar com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). O Irã insiste que seu programa nuclear tem objetivos pacíficos.

"A contínua recusa do Irã de cumprir as obrigações com o Conselho de Segurança das Nações Unidas e com a AIEA em relação ao seu programa nuclear é uma grave preocupação para os ministros do G-8", afirma o comunicado final.

"Os ministros concordaram em seguir abertos ao diálogo e também reafirmaram a necessidade da comunidade internacional tomar medidas fortes e apropriadas para demonstrar a determinação para manter o regime de não-proliferação nuclear", diz. O esboço, porém, não menciona a palavra "sanções".

Os três integrantes ocidentais que têm vagas permanentes no Conselho de Segurança - EUA, França e Reino Unido - e a Alemanha têm pressionado por uma nova rodada de sanções ao Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.