Gates afirma que é possível alcançar estabilidade no Iraque

Durante visita-surpresa, secretário de Defesa diz que situação está 'melhor', mas reconhece desafios no país

Agências internacionais,

05 de dezembro de 2007 | 14h37

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, se mostrou convencido de que a estabilidade pode ser alcançada no Iraque, apesar dos desafios que ainda restam por superar. Em entrevista coletiva concedida em Bagdá, Gates, que chegou nesta quarta-feira, 5, ao Iraque em uma visita surpresa, assegurou que "a situação está melhorando, e que se pode conseguir um Iraque seguro e estável". Veja também:Secretário de Defesa faz visita ao IraquePelo menos 22 morrem em ataques durante a visita de Gates ao IraqueAtentado contra ônibus mata 13 no AfeganistãoOcupação do Iraque    Os comentários de Gates foram feitos momentos após a explosão de um carro-bomba num bairro xiita de Bagdá, que matou pelo menos 14 pessoas. No total, 22 pessoas morreram em atentados no país. Outros três veículos explodiram em cidades iraquianas, matando pelo menos oito pessoas. Uma das explosões ocorreu na cidade de Mossul, logo depois da chegada de Gates.  Reconhecendo a situação precária da segurança no país, Gates afirmou que ainda há muito trabalho para ser feito até que as forças militares iraquianas assumam o Controle das tropas americanas. Iraquianos que lutam contra insurgentes devem ser integrados ao contingente militar do país, por exemplo, disse Gates. Gates ressaltou o declínio da violência no país nos últimos meses e que levou a um crescimento substancial no número de refugiados que retornaram para suas casas, assim como o aumento do investimento internacional no Iraque desde os cinco anos de guerra. Gates chegou ao recém-aberto aeroporto de Mossul, que retomou as operações no domingo depois de 14 anos fechado. Esta é a sexta visita de Gates ao Iraque em um ano. A última vez que o secretário de Defesa americano esteve no país foi em setembro, acompanhando o presidente George W. Bush.  Geoff Morrell, secretário de Imprensa do Pentágono, disse que Gates quer "ter a visão (dos militares) da situação e ver o que mais eles podem fazer para capitalizar os ganhos que foram conseguidos desde o aumento das forças americanas no Iraque". O oficial Tony Thomas afirmou aos repórteres que Gates e outros comandantes no norte estão avaliando o envio de tropas adicionais ao norte do país e também o retorno de 1.400 soldados para a cidade de Bagdá, com a finalidade de garantir "mais poder de combate" na estabilização da segurança de algumas áreas, incluindo as províncias de Diyala, Mossul e Samara, e ajudar a conter a onda de violência, incluindo ataques suicidas. Os Estados Unidos iniciaram uma redução lenta do número de brigadas de combate no Iraque depois do aumento do número de soldados, o que demonstra que o objetivo de diminuir a violência no centro do país pode ter sido alcançado. Segundo a BBC, autoridades iraquianas afirmam que o número de mortes entre civis por mês está caindo. Foram 606 mortos em novembro comparados aos 887 mortos em outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
GatesIraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.