Governo brasileiro expressa preocupação por crise no Líbano

Itamaraty diz que governo acompanha tensões no país e que se necessário tomará medidas de assistência

Da Redação,

09 de maio de 2008 | 17h14

O Itamaraty divulgou uma nota nesta quinta-feira, 9, dizendo que o governo brasileiro acompanha com preocupação as crescentes tensões no Líbano, que já levou a morte de pelo menos onze pessoas. O país passa por uma crise política devido aos confrontos da oposição xiita do Hezbollah com os apoiadores sunitas do governo. Veja também:EUA pedem para Irã e Síria cessarem apoio ao HezbollahSoldados do Hezbollah controlam BeiruteEntenda as divisões e a crise política  "O governo brasileiro reafirma seu apoio aos esforços da comunidade internacional com vistas à superação do impasse político no país, com base na Iniciativa da Liga Árabe", diz o comunicado. "O Ministério das Relações Exteriores está acompanhando atentamente a situação da comunidade brasileira no Líbano, para tomar as providências de assistência que se façam necessárias", acrescenta. Nesta sexta-feira o Hezbollah, apoiado pelo Irã, tomou o controle da parte muçulmana de Beirute, o que representa um grande prejuízo para o governo apoiado pelos Estados Unidos.  Os combates, que são os piores desde a guerra civil (1975-90), começaram nesta semana quando o governo tomou decisões contra o sistema de comunicações militares do Hezbollah. O grupo disse que o governo declarou guerra. Em cenas que lembram os piores dias da guerra civil, homens armados com rifles rondavam as ruas em meio aos carros destruídos e prédios em chamas.

Tudo o que sabemos sobre:
ItamaratyLíbanoHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.