Governo do Iêmen acusa rebeldes de violarem cessar-fogo

Um soldado morreu e outro ficou ferido em tiroteio; trégua foi decretada pelo presidente na quinta-feira

Associated Press,

12 de fevereiro de 2010 | 12h43

As autoridades do Iêmen acusaram nesta sexta-feira, 12, os rebeldes do norte do país de violar um acordo de cessar-fogo poucas horas depois de a trégua passar a valer.

 

O vice-ministro do Interior, o general Mohammed Abdullah al-Qawsi, disse que os insurgentes mataram um soldado e feriram outro em um ataque nesta sexta-feira em um posto policial na província de Saada. Segundo ele, os rebeldes também abriram fogo contra o seu comboio.

 

Fontes ligadas às instituições de segurança disseram que esperavam pequenas violações na trégua, mas reiteraram que o tratado de cessar-fogo ainda está em vigência.

 

O tratado foi declarado vigente pelo presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, na noite da quinta-feira. A trégua passou a valer a partir da meia-noite.

 

O Iêmen se tornou um dos centro das atenções para o combate contra o terrorismo desde que o nigeriano responsável pelo ataque terrorista frustrado nos EUA disse ter recebido treinamento da Al-Qaeda nesse país do Oriente Médio.

Tudo o que sabemos sobre:
Iêmenterrorismotréguainsurgentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.