Governo do Iêmen promete reformas para combater a Al-Qaeda

Compromisso foi elemento central de reunião ministerial, e inclui reformas políticas e econômicas

Efe,

27 de janeiro de 2010 | 17h21

Hillary conversa com ministro do Exterior da Indonésia, Marty Natalegawa, antes da reunião sobre o Iêmen. Foto: Lefteris Pitarakis/AP

 

LONDRES - O governo do Iêmen se comprometeu nesta quarta-feira, 27, ante a comunidade internacional a empreender reformas políticas e econômicas urgentes para combater a Al-Qaeda e outros grupos extremistas radicados no país.

 

Veja também:

especial Especial: As franquias da Al-Qaeda

linkAl-Qaeda no Iraque reivindica ataques contra hotéis em Bagdá

 

O compromisso é um dos elementos centrais da reunião internacional que ocorreu nesta quarta em Londres para encontrar formas de ajudar o governo de Sana a combater o extremismo islâmico.

 

No final do encontro ministerial, que durou duas horas, o ministro britânico de Assuntos Exteriores, David Miliband, destacou que Sana ofereceu garantias de que "imporá reformas", incluindo um acordo para aplicar um programa do Fundo Monetário Internacional (FMI).

 

Miliband compareceu ante a imprensa junto ao ministro iemenita de Assuntos Exteriores, Abu Bakr Al Qirbi, e a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e anunciou que o Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) abrigará em Riad nos dias 22 e 23 de fevereiro uma reunião de países doadores para ajudar o Iêmen.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.